fbpx

Autogestão de Carreira

Inscreva-se

Online - Gratuitos

Carga Horária: 6H

Data: 2021

Valores: Alunos, ex-alunos FECAP Gratuito Externos: Gratuito

Período de Inscrição: Disponível

Prof. Augusto Dutra Galery

Sobre o curso

Antigamente, a gestão de carreira era feita pelas empresas, que ofereciam planos de cargos e salários aos seus funcionários. Atualmente, cabe ao próprio indivíduo gerir sua carreira, considerando as exigências do mercado e suas próprias motivações e propósitos. A afirmação é do professor do curso on-line gratuito “Autogestão de Carreira” da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), Augusto Dutra Galery. 

Ainda segundo o especialista, uma “carreira de sucesso” é algo bastante subjetivo. “Uma carreira de sucesso está sempre em construção, não é algo parado. E precisa considerar diversos fatores, que vão desde a luta por seus ideais e valores até o seu próprio sustento. Acho que podemos definir uma carreira de sucesso como o movimento de equilíbrio entre o individual e o social, e entre o presente e o futuro”, opina. 

AUTOCONHECIMENTO 

Na autogestão de carreira de sucesso, o autoconhecimento é um dos pontos essenciais, mas também é importante saber ler o mercado para buscar competências essenciais e diferenciais. Além disso, é necessário saber colocar planos em prática e se desenvolver continuamente. 

Para Galery, o principal erro que as pessoas cometem é ter uma atitude passiva frente à própria carreira. “Isso dificulta a empregabilidade e leva à desmotivação e frustração do indivíduo. Ao mesmo tempo, se você considera que não precisa de nenhuma mudança, também terá problemas”, diz. 

Neste sentido, os processos de recrutamento e seleção hoje buscam analisar diversos fatores, que vão desde o conhecimento formal e experiência prévias até a inteligência emocional, a motivação e os valores dos candidatos. 

“O mundo anda complexo… Como os RHs avaliam diversas competências, já não se pode mais deixar de investir em uma coisa para investir em outra. Na pós-graduação da FECAP, por exemplo, independentemente do curso, os profissionais terão que desenvolver suas competências técnicas e aprender soft skills como parte da preparação para o mercado. Tudo caminha junto”. 

COLABORADOR X EMPRESA 

Como toda relação, as duas partes têm que estar envolvidas no desenvolvimento dos planos de carreira. “Mais uma vez, o que acontece aqui é uma relação. Uma pessoa que coloca seu desenvolvimento nas mãos da empresa vira um refém. A empresa, por seu lado, perde rapidamente diferenciais de seus colaboradores se tentar controlar demais suas carreiras. Assim, os dois precisam criar um relacionamento motivacional e de crescimento contínuo. Eu aconselho um diálogo próximo: que as empresas compreendam os potenciais das pessoas e as ajudem a se desenvolver, pois também estarão desenvolvendo organizacionalmente essas competências”, aconselha Galery. 

CONSIDERE A VIDA PESSOAL 

Uma gestão de carreira deve estar alinhada a um plano de vida na esfera pessoal. “Isso é essencial. Mas aqui não estamos falando de só fazer aquilo que dá prazer. É também preciso considerar seus desafios motivadores e seus propósitos de vida. Idealmente, é preciso chegar a um equilíbrio entre o agora (o que se gosta e se precisa atualmente) e o futuro (aonde queremos chegar e como podemos contribuir para um mundo melhor)”, finaliza.

PÚBLICO ALVO

Estudantes e profissionais que desejam aperfeiçoar suas habilidades comunicacionais e colaborativas para construir relacionamentos saudáveis e produtivos, além de parcerias de confiança. Plano de ação.

Conteúdo

As modificações na gestão de carreira. Por que tem um projeto de carreira?
Motivação e carreira.
O papel do conhecimento.
Gestão de carreira. Planejamento da Carreira Individual.
Gestão de carreira organizacional.
O papel da empresa na gestão de carreira.
Como estruturar um plano de carreira.
Plano de ação.

A trilha de aprendizagem é o caminho pelo qual o aluno deverá percorrer durante o processo de ensino-aprendizagem de modo que haja eficiência e eficácia nesse processo.
O curso está organizado em 3 módulos onde o aluno encontrará os seguintes objetivos de aprendizagem:
1- Videoaula: vídeo que mostra ou discute acerca do tema apresentado.
2-Texto com o conteúdo teórico do respectivo reforçando o que foi apresentado pela vídeoaula.
3- Artigos
4- Auto Avaliação: são questões objetivas com as quais o aluno poderá verificar como foi seu aprendizado referente ao módulo estudado.

É necessário que o aluno leia os módulos e assista as vídeo aulas. No final ele fará uma auto-avaliação e precisará de um nível mínimo de acerto de 70% para receber o certificado.

ALBORNOZ, S. O que é trabalho? edição eletrônica. ed. São Paulo: Brasiliense, 2004.
HOFRICHTER, M. Análise SWOT: quando usar e como fazer. Porto Alegre: Simplíssimo, 2017.
PAYSA. The average number of years at tech disruptors and titans. Tech Tenure, 2017. Disponivel em: . Acesso em: 02 Set 2018.
PINK, D. Motivação 3.0. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.
QUEIROZ, C.; LEITE, C. O elo da gestão de carreira: o papel do empregado, da liderança e da organização. São Paulo: DVS, 2012.
ROBBINS, S. P.; DECENZO, D. A.; TAYLOR, R. B. Fundamentos de administração: conceitos essenciais e aplicações. São Paulo: Prentice Hall, 2004.
TAYLOR, F. W. Princípios da administração científica [1907]. 8ª ed. São Paulo: Atlas, 1995.
TREFF, M. Gestão de pessoas: olhar estratégico com foco em competências. Edição eletrônica. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2016.

Sobre o professor

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1997), mestrado em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas – SP (2005) e doutorado em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (2014). Atualmente, é pós-doutorando em Psicologia Social pela USP. É professor assistente da FECAP e professor convidado do curso de mestrado profissional e do CEAG da Escola de Administração de Empresas de São Paulo/ Fundação Getúlio Vargas. Coordena o Curso de Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Pessoas no Centro Universitário Fecap, onde também é gestor do Fecap+ Centro de Acolhimento e Permanência. Foi coordenador por 5 anos do Centro de Estudos DIVERSA, do Instituto Rodrigo Mendes. Tem experiência na área de Inclusão Social e Psicologia social, do trabalho e organizacional, em especial nos campos da psicossociologia.

Augusto Dutra Galery

Compartilhe :

Receba tudo o que rola no universo FECAP