Metodologias para Avaliação de Empresas nascentes e maduras - FECAP

Metodologias para Avaliação de Empresas nascentes e maduras

Por Cláudio Gonçalves dos Santos: Economista, Mestre em Finanças de Empresas, Professor em...
Imprensa | 27/10/2022
Compartilhe:

Por Cláudio Gonçalves dos Santos: Economista, Mestre em Finanças de Empresas, Professor em cursos de Pós-Graduação da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), Conselheiro de Administração e Diretor da Planning. 

Avaliação de empresas não é uma ciência exata. Para encontrar o valor ou faixa de valor justo por uma empresa, é preciso conhecer as metodologias utilizada e aceitas pelo mercado. Contar com profissionais experientes, que conheçam a dinâmica do setor da empresa que está sendo avaliada e o ciclo de vida dela: startup, crescimento, maturidade ou declínio. Além disso, o profissional deve se aprofundar no conhecimento da empresa, conhecer seus diferenciais competitivos, os principais drives de geração de receita, a dinâmica e estrutura de custos e despesas, além da necessidade de investimento (CAPEX), bem como os skills da gestão.  

Este artigo, tem como objetivo destacar as principais metodologias utilizadas pelo mercado, para avaliação de empresas nascentes e maduras, das quais destaco as 6 (seis) mais utilizadas. 

As 4 (quatro) primeiras metodologias são utilizadas para avaliar empresas nascentes (startups), as 2 (duas) últimas para avaliar empresas maduras e todas serão abordadas em artigos.  

1. Metodologia de Avaliação Scorecard  

2. Método de Checklist 

3. Método de Avaliação de Venture Capital  

4. Método de Avaliação Dava Berkus  

5. DCF com crescimento de longo prazo 

6. DCF com múltiplos  

Inicio a Metodologia de Avaliação Scorecard, utilizada para avaliar startups. Esta metodologia, compara a empresa target à empreendimentos típicos de startups financiadas por Angel Capital, justando a avaliação pela média de empresas recentemente financiadas no setor, para estabelecer uma “avaliação pré-money” da empresa target. Importante observar que tais comparações só podem ser feitas para empresas que estejam no mesmo estágio de desenvolvimento. 

O primeiro passo é determinar a “avaliação pré-money” média de empresas pré-receita no mesmo setor de negócios da empresa target. A avaliação pré-money varia dependendo da economia e do ambiente competitivo para startups dentro do mesmo setor. 

Na maioria dos setores, para startups pré-receita, a avaliação pré-money não difere muito de um setor de negócio para outro. 

Com base em dados da Seedrs (com sede em Londres), a partir de 2019, as avaliações de startups pré-money variavam entre £ 750 mil e £ 2 milhões para empresas em estágio pré-receita. 

O próximo passo é comparar a empresa-target com a sua percepção de negócios semelhantes realizados no setor, considerando as seguintes variáveis:  

1) Força da equipe de gestão: experiência, conjunto de habilidades e integridade da equipe de gestão; 

2) Tamanho da oportunidade: tamanho do mercado para o produto e/ou serviço da empresa, com cronograma para geração de receita, bem como e a força da concorrência; 

3) Produto ou serviço: definição e adequação do produto ao mercado e as barreiras à entrada de novos concorrentes; 

4) Qualidade do Business Plan e Apresentação: qualidade das projeções, canal de vendas, estágio do negócio, tamanho da rodada de investimentos e necessidade de financiamento. 

A tabela 1 desenvolvida por Seedrs, apresenta a seção de uma planilha de avaliação típica que foi desenvolvida para avaliar a força relativa de empresas-target: 

Tabela 1: Tamanho da Oportunidade 

Como funciona a Metodologia de Avaliação de Scorecard? 

Para cada fator de comparação, como o mostrado na tabela 2, há um conjunto de perguntas de múltipla escolha para responder sobre a empresa target. As respostas dão uma pontuação na faixa de -3 (pior) a +3 (melhor).  

Deve-se multiplicar essa pontuação pelo intervalo do fator de comparação (tabela 2), encontrando uma ponderação para cada seção. A soma do fator total é multiplica pela avaliação média pré-money para o setor, resultando em uma avaliação estimada da empresa target. 

Tabela 2: Fator de Comparação 

Notícias Relacionadas

SIGA A FECAP NAS REDES SOCIAIS

Quer saber mais sobre a FECAP?

© Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado - FECAP - Todos os direitos reservados