fbpx

Alunos do Colégio FECAP arrecadam absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade

Projeto Fluxo da Empatia já recebeu 5 mil absorventes; objetivo é dobrar o número de...
Colégio | 13/10/2021
Compartilhe :

Projeto Fluxo da Empatia já recebeu 5 mil absorventes; objetivo é dobrar o número de doações até o fim de outubro 

Os alunos do Colégio FECAP estão arrecadando absorventes íntimos, que serão distribuídos a instituições beneficentes, por meio da campanha Fluxo da Empatia. A ação, que surgiu com a proposta de desmistificar questões relacionadas ao fluxo e à pobreza menstrual, já arrecadou pouco mais de 5 mil absorventes e tem a meta de dobrar o número de doações até o fim de outubro. 

Fluxo da Empatia foi lançado no início de setembro deste ano, após uma discussão promovida nas aulas de Biologia do 2ª A sobre os tabus que envolvem o ciclo menstrual e questionamentos em relação à pobreza menstrual. Caracterizada pela falta de acesso a recursos, infraestrutura e conhecimento sobre os cuidados que envolvem a menstruação, a pobreza menstrual afeta milhões de meninas e mulheres em todo o mundo. 

De acordo com o relatório Pobreza Menstrual no Brasil: desigualdade e violações de direitos, organizado pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), 713 mil meninas brasileiras vivem sem acesso a banheiro ou chuveiro em casa e mais de 4 milhões não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais nas escolas. O assunto voltou ao debate da opinião pública após aprovação, pelo congresso, do Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual, que teve vetada a distribuição gratuita de absorventes a estudantes de baixa renda de escolas públicas e pessoas em situação de rua. 

A professora de Biologia do Colégio FECAP, Maryana Eiras, que coordena a ação com os alunos, explica que, além de promover uma arrecadação em massa, possibilitando a um grande número de mulheres uma melhor vida higiênica, um dos objetivos do Fluxo da Empatia é conscientizar os alunos sobre essa realidade. “Apesar de não ser uma dificuldade da nossa comunidade, esse assunto permite, além de empatia, consciência e a construção de um pensamento crítico quando falamos em pobreza menstrual”. 

Além das alunas, o projeto conta ainda com a participação dos alunos, que se engajaram tanto nas discussões, como na arrecadação dos absorventes. “Percebemos o quanto o público masculino tem dificuldades em tratar do tema, muitas vezes por vergonha de falar desse assunto em casa. Por isso trouxemos essa questão de forma leve e direta, esclarecendo qualquer situação que possa acontecer quando falamos de menstruação”. 

A participação dos alunos nas discussões sobre pobreza menstrual foi tão produtiva que ultrapassou os limites da sala de aula. Além de organizar a campanha, que hoje mobiliza toda a comunidade Alvarista, os alunos também passaram a produzir conteúdo sobre o tema no Instagram @fluxodaempatia. O perfil fala não só da campanha, mas apresenta dados sobre a pobreza menstrual, além de depoimentos dos estudantes. “Houve uma mudança de postura, de maturidade em relação a esse assunto, o que é muito importante para promover mudanças”, observa Maryana. O sucesso do projeto é tamanho que a intenção é que o Fluxo da Empatia se torne permanente. 

Como doar 

As doações de absorventes para a campanha Fluxo da Empatia podem ser feitas no Colégio FECAP – localizado na Avenida Liberdade, 532 (próximo à estação Liberdade do metrô) – até o fim de outubro. Até lá, a meta é arrecadar 10 mil absorventes íntimos, que serão doados ainda esse ano a instituições do Centro de São Paulo. 

Colégio FECAP  

O Colégio FECAP iniciou suas atividades em 1902 com a finalidade de formar jovens com excelência acadêmica e profissional. Desde então, é mantido pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, instituição sem fins lucrativos. Suas instalações oferecem cerca de 30 mil metros quadrados de conforto, segurança e tecnologia educacional.  

Clique aqui para saber mais sobre o Colégio FECAP. 

Notícias Relacionadas

SIGA A FECAP NO INSTAGRAM

Quer saber mais sobre a FECAP?