Sua comunicação é violenta ou não-violenta? Especialista dá dicas para identificar - FECAP

Sua comunicação é violenta ou não-violenta? Especialista dá dicas para identificar

A CNV, Comunicação Não Violenta, oferece uma técnica que aperfeiçoa relacionamentos pessoais...
Extensão | 04/05/2021
Compartilhe:

A CNV, Comunicação Não Violenta, oferece uma técnica que aperfeiçoa relacionamentos pessoais e profissionais. Segundo a professora do curso on-line gratuito “Comunicação Não Violenta” da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), Maria de Lurdes Zamora Damião, a CNV é mais que uma ferramenta: é um jeito de ser, que contempla a não violência, a aceitação totalmente sem julgamento e a compaixão. 

“A ênfase da técnica reside no saber expressar-se a partir de observações, sentimentos, necessidades e clareza nos pedidos, evitando-se uma linguagem cheia de julgamentos e rótulos que enquadram os interlocutores ou terceiros. Sua proposta envolve a revisão das ações baseadas no ‘piloto automático’ e a busca de respostas mais conscientes”, explica. 

PERFIL DE COMUNICAÇÃO VIOLENTA  

A especialista aponta ainda qual é o perfil e como age uma pessoa que aplica a comunicação violenta. Segundo ela, são pessoas passivas, manipuladoras e agressivas que utilizam uma comunicação com linguagem agressiva e cheia de julgamentos que separam as pessoas.   

Priorizam apontar o que o outro fez e o que falou de errado, criando um mundo de suposições convenientes em que a necessidade real não é contemplada. É a busca constante por sempre ter razão, mesmo que seja preciso coagir ou culpar o outro, sem ouvi-lo e sem reconhecer sua responsabilidade com a situação.  

PERFIL DE COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA  

Já as pessoas que agem a partir da comunicação não violenta são assertivas e empáticas, que se conectam com outro, revelando necessidades e desejos, e abrindo caminhos de verdadeira comunicação e possibilidades de reciprocidade.  

Possibilitam uma comunicação direta e empática, pois comunicam interesses, buscam identificar sentimentos a cada momento e a maneira como os outros podem contribuir para o seu bem-estar e o do outro. Utilizam-se de uma comunicação respeitosa e sem julgamentos.   

COMO LIDAR COM QUEM É AGRESSIVO?  

Observe sem julgamento, entre em contato com os sentimentos provocados em você, verifique qual é sua necessidade em relação ao ocorrido e depois em uma conversa assertiva e empática com a pessoa, fale sobre sua observação, seus sentimentos e necessidades, e conclua com um pedido em linguagem clara e positiva que deseja que ela se comunique com você de forma respeitosa e empática.  

PANDEMIA POTENCIALIZA AGRESSIVIDADE  

A pandemia revela pelo menos dois tipos de vítimas: as do Covid-19 e as do isolamento social. O isolamento potencializa nossos medos e o medo é a base de toda agressividade.   

Quando sentimos medo de expressar nossos sentimentos e necessidades e não acreditamos que o outro nos ouvira ou será empático, utilizamos a comunicação violenta. Começar ou aprofundar um processo de autoconhecimento com terapia, exercícios de atenção plena e outras estratégias, ajuda a manter a serenidade e o equilíbrio.  

Por fim, a professora aponta que a agressividade direta ou passiva é extremamente prejudicial, pois constrói muros entre as pessoas, independente do ambiente. “Predomina a ideia de que o outro é responsável pelo nosso bem-estar, e quando isso não acontece o outro é o culpado. É uma forma de terceirizar nossa responsabilidade, aliviar nossa culpa e principalmente abrir mão de nosso poder e protagonismo”, conclui.  

CURSO GRATUITO  

Para se destacarem no cenário atual do mercado de trabalho, é fundamental que os profissionais a dominem. E a FECAP oferece gratuitamente o curso on-line de “Comunicação Não Violenta” para ajudar os profissionais que desejam aperfeiçoar suas habilidades comunicacionais e colaborativas para construir relacionamentos saudáveis e produtivos, além de parcerias de confiança.  

Entre os objetivos do curso está fazer o aluno entender os comportamentos tóxicos e seus impactos sobre os profissionais, equipes e organizações, identificando os tipos de comunicações improdutivas e produtivas e suas consequências nos relacionamentos, refletindo as habilidades de linguagem e comunicação que fortalecem a capacidade de ser empático e resolver conflitos.  

Conhecer a Comunicação Não Violenta e praticar a atenção plena em si e no outro substitui reações e julgamentos por ações e observações.  

O curso tem duração de 4 horas/aula e as inscrições podem ser feitas pelo site.

A PROFESSORA  

Maria de Lurdes Zamora Damião é Mestre em Administração – Gestão de Organizações e Pessoas pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista em Consultoria de Recursos Humanos e graduada em Psicologia e Pedagogia.  

Professora das disciplinas Gestão de Pessoas e Liderança, Gestão de carreiras e competências em cursos de Pós-graduação; e em disciplinas de Psicologia, Liderança e Soft skills em cursos de Graduação, coach acadêmico e psicóloga da FECAP.  

Palestrante e facilitadora da Syntese Desenvolvimento Humano, da Universidade Corporativa do SESCON-SP – UNISESCON-SP e do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo– CRCSP. Coach holístico, Action learning coach, Analista comportamental, Wizard, Professional and Master Avatar com certificações internacionais.  

Coautora dos livros “Competência: a essência da liderança pessoal”, publicado pela Saraiva e “Coaching: desenvolvendo pessoas e acelerando processos”, publicado pela Editora IBC.

Notícias Relacionadas

SIGA A FECAP NAS REDES SOCIAIS

Quer saber mais sobre a FECAP?