FECAP

Notícias

Prof. da FECAP fala sobre o ensino de física com o uso do arduíno

Colégio Publicado em: 05/04/16
O Profº. Artur Luciano fala sobre o tema de sua dissertação de mestrado "Laboratório didático investigativo: o ensino de física com uso do arduíno", dizendo que o que o motivou a defender essa tese foi ter percebido que o que mais lhe incomoda durante as aulas de Física é o desinteresse dos alunos pelos temas abordados. Durante a pesquisa, foi verificado que essa é uma reclamação geral por parte dos professores de ciências.

A apresentação formal da Física não tem contribuído para com os professores para vencer este desafio: "Pensei na possibilidade de termos o aluno como protagonista no processo de ensino e aprendizagem. Para isto, o Laboratório Didático Investigativo, por mim chamado de LADIN, demonstrou ser eficiente e o uso do Arduino aumentou a motivação dos alunos diante da necessidade de se relacionarem com ele. "

"Para que eu tenho que aprender Física?"  é uma pergunta retórica feita pela maioria dos alunos, diz o professor. Segundo ele, as seguintes perguntas foram feitas:

1-    Vivemos em um mundo rodeado por tecnologia advinda da ciência. Manteremos nossos alunos como meros usuários ou como protagonistas em conhecer as caixas pretas embarcadas em celulares, computadores e outras inovações utilizadas diariamente permitindo ampliações em suas aplicações?

2-    Necessitamos desenvolver métodos mais eficientes para a geração de energia. Como fazê-lo sem massa crítica preparada para isso?

3-    Como diagnosticar de modo mais eficiente uma doença, desenvolver novos medicamentos, aumentar a produção de alimentos sem sobrecarregar o planeta, disponibilizar conforto e segurança para a população são necessidades humanas prementes e precisam de inovações?

"Estas questões passam pelo desenvolvimento científico. Para tanto, precisamos apresentar aos nossos alunos, mesmo que de maneira incipiente o método científico, aumentando a massa crítica para poder participar deste processo. Carecemos de engenheiros, pesquisadores, químicos, físicos e um número sem fim de indivíduos que atuem nestas áreas e é na escola média que podemos alavancar o número de interessados nestas áreas."