FECAP

Direitos Humanos e Diversidade

Diretrizes voltadas à valorização da diversidade, promoção dos direitos humanos e da igualdade étnico-racial, do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural


O Centro Universitário, como Instituição de reconhecida competência em suas áreas de ensino, pesquisa e extensão, tem como preocupação essencial a valorização da diversidade, do meio ambiente, da memória cultural e do patrimônio cultural.

O Centro Universitário Álvares Penteado – FECAP, é uma instituição livre de preconceitos e um ambiente que valoriza a Diversidade, a Tolerância e o Respeito. Corroborando o intuito da instituição nesta direção. Tal situação pode ser verificada no Código de Ética da Instituição, no seguinte item 4:

Diversidade, tolerância e respeito

Em vista dos valores e posturas suscitados pela ética e inerentes à credibilidade deste Centro Universitário, ou seja, a honestidade, a coerência e a responsabilidade, espera-se que, nos campi da FECAP, predomine o respeito e a tolerância face à diversidade que caracteriza as manifestações culturais e comportamentais da sociedade contemporânea.

A FECAP deve respeitar a diversidade e promover o princípio da tolerância para fortalecer o respeito e a aceitação das diferenças pessoais relacionadas às origens culturais, à formação, à personalidade e à orientação sexual.

Será objeto de sanções por parte da Comissão de Ética desta Fundação toda e qualquer manifestação de intolerância que envolva ou resulte em proselitismo do preconceito contra origem, etnia, sexo, idade, credo, ateísmo, classe social, posição ideológica e incapacidade física que envolva a comunidade acadêmica FECAP.

Entende-se, aqui, que os princípios de diversidade, tolerância e respeito sejam precipuamente aplicados as pessoas. Mas, além disso, tais princípios norteiam o respeito ao meio ambiente, à memória cultural da FECAP e ao patrimônio físico e cultural da instituição.

Partindo-se da concepção apresentada acima e consoante com as diretrizes nacionais indicadas pelo Ministério da Educação – MEC, a política de valorização da diversidade, promoção dos direitos humanos e da igualdade étnico-racial, do meio ambiente, da memória cultural, da produção artística e do patrimônio cultural define-se com base nas seguintes diretrizes:

  • As atividades de ensino, pesquisa, extensão e da área administrativa devem estar embasadas no respeito aos Direitos Humanos, internacionalmente reconhecidos como um conjunto de direitos civis, políticos, sociais, econômicos, culturais e ambientais, sejam eles individuais, coletivos, transindividuais ou difusos, referem-se à necessidade de igualdade e de defesa da dignidade humana.
  • A FECAP deve efetivar ações que impliquem na adoção sistemática de respeito aos Direitos Humanos por todos(as) os(as) envolvidos(as) nos processos educacionais.
  • A educação em Direitos Humanos, na FECAP, deve promover a educação para a mudança e a transformação social, fundamentada nos seguintes princípios: I - dignidade humana; II - igualdade de direitos; III - reconhecimento e valorização das diferenças e das diversidades; IV - laicidade do Estado e da Instituição; V - democracia na educação; e VII - sustentabilidade socioambiental.
  • A Educação em Direitos Humanos, na FECAP, deve ter como objetivo central a formação para a vida e para a convivência, no exercício cotidiano dos Direitos Humanos como forma de vida e de organização social, política, econômica e cultural.
  • A Educação em Direitos Humanos, na FECAP, deverá ser considerada na construção dos Projetos Político-Pedagógicos (PPP); dos Regimentos Escolares; deste Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI); dos Projetos Pedagógicos de Curso (PPC); do modelo de gestão, bem como dos diferentes processos de avaliação.
  • A Educação das Relações Étnico-Raciais, na FECAP, se dará pelo por meio de conteúdos, competências, atitudes e valores, nas atividades de ensino, pesquisa, extensão e técnico-administrativas.
  • A Educação Ambiental, na FECAP, visa à construção de conhecimentos e ao desenvolvimento de habilidades, atitudes e valores para o cuidado com a comunidade e a proteção do meio ambiente natural e construído.

Ações ou Projetos


A seguir, a título de exemplificação, apresentamos ações e projetos, não exaustivos, de como tal política está sendo implementada:

  • Disciplinas regulares, em todos os cursos de graduação, que versam sobre os diferentes temas de direitos humanos, diversidade, tolerância, relações étnico-raciais e meio ambiente.
  • Apoio Psicopedagógico: o programa proporciona atendimento psicológico emergencial e preventivo; canal de escuta para acolhimento e superação de possíveis conflitos; oferece aconselhamento, orientação e encaminhamento dos estudantes; e procura aumentar a identificação do aluno com a FECAP.
  • Apoio, por meio do reconhecimento da legitimidade, de cessão de espaço, equipamentos e outros recursos para as diferentes entidades estudantis, tais como: FecaPride (coletivo LGBT); Fecap Social (atividades sociais); Coletivo Ruth Cardoso (coletivo feminista); Célula Fecap (espiritualidade); Busca-se apoiar a formação integral dos estudantes, estimulando valores e comportamentos como o respeito à diversidade, a tolerância e o respeito.
  • Oferta regular da disciplina de LIBRAS, como optativa e validação como atividades complementares, sem custo adicional para os participantes.
  • A FECAP conta com um programa de coleta seletiva de lixo, que ao mesmo tempo torna a instituição mais sustentável do ponto de vista ambiental assim como é uma medida educativa ao dar exemplo aos seus estudantes.
  • A memória cultural da FECAP é mantida por algumas ações: (a) publicação do livro “FECAP 100 anos”, no qual a história da Fundação é contada minuciosamente. A obra é entregue a Professores, Personalidades Públicas e Palestrantes que realizam atividades na FECAP; (b) Desde setembro de 2016 a FECAP conta com uma responsável pela curadoria do acervo histórico da instituição. O objetivo a ser alcançado com essa nova posição na instituição é de divulgar ao máximo toda a tradição e excelência da Fundação, que conta com mais de um século de existência e experiência na área de negócios. Recentemente, sob esta curadoria, foi reinaugurado o Centro de Memória Alvarista, situado no campus Largo de São Francisco. Neste Museu há artefatos e textos sobre a História da FECAP e da Contabilidade.
  • Disciplina em inglês: Proteção em direitos humanos de grupos vulneráveis: perspectivas domésticas e internacionais. A referida disciplina, ofertada e conduzida em 2018/1, compreendeu distintas abordagens e leituras da Ciência Política com enfoque sobre a vulnerabilidade enquanto construto político. Por meio dessa categoria conceitual e analítica, foi possível introduzir uma perspectiva de direitos humanos com a finalidade de problematizar sobre quais atores (domésticos e internacionais) recai a responsabilidade por responder às vulnerabilidades mais abrangentes e à vulnerabilidade de grupos específicos, seja no âmbito doméstico seja no âmbito internacional. Também foi possível adotar uma perspectiva crítica sobre as reflexões mais empíricas em torno da vulnerabilidade, evitando reduzí-la a uma suposta categoria neutra e lidando com casos que a evidenciassem a partir de (i) grupos que requerem proteção específica: crianças, mulheres, migrantes, negros, LGBTQ, entre outros, e de (ii) questões intimamente conectadas à produção de danos sobre esses grupos, tais como atrocidades, tortura, estupro, escravidão, luto e morte.
  • Educação em -e para os- direitos humanos: palestra dirigida para os ingressantes dos turnos matutino e noturno e tem como propósito apresentar um panorama da internacionalização dos direitos humanos ao longo da segunda metade do século XX. Ao fazer tal reconstituição histórica, foi possível aproximar os direitos humanos simultaneamente do campo da educação e da própria Escola Negócios. Por meio da ilustração das graves violações de direitos humanos envolvidas, por exemplo, no caso da devastação ambiental mais recente em Mariana foi possível aproximar os alunos dos distintos cursos de Graduação da ideia de que os direitos humanos e a responsabilidade social corporativa podem se fortalecer mutuamente.
  • Adesão ao PRME: O Centro Universitário Álvares Penteado - FECAP aprovou em seus Conselhos Superiores (CONSEPE e CONSUNI) a adesão ao Principles for Responsible Management Education (PRME). Trata-se de um compromisso junto à ONU e à sociedade de propiciar a formação de líderes responsáveis, com valores alinhados à realização da Agenda 2030. O PDI 2020-2024 da FECAP terá como um de seus direcionamentos as dimensões e indicadores da Agenda.
  • Adoção do Largo da Pólvora: Como mais uma tangibilização de seu compromisso para com o entorno, a FECAP iniciou, em atividade Cooperativa com a Junior Chamber International Brasil-Japão e a Greenline Latam, o Projeto de Revitalização do Largo da Pólvora. O local é símbolo da Imigração Japonesa no Brasil, e carecia de cuidados à altura de sua importância histórica para a região. O projeto inclui a educação ambiental para os alunos da FECAP, com liderança de Professores do Curso Técnico em Meio-Ambiente.