fbpx

Governança Corporativa e boas práticas na União Europeia: diversidade e inclusão

| Gestão e negócios

Carga Horária: 40h

Data: 12 de setembro a 12 de dezembro.

Valores: Alunos, ex-alunos FECAP Externos:

Período de Inscrição:

Prof. Profa. Dra. Cláudia Marconi

Sobre o curso

I – EMENTA DA DISCIPLINA

O objetivo desta disciplina é aproximar a narrativa da governança corporativa das práticas e atividades da União Europeia, sobretudo considerando as empresas transnacionais europeias. Por meio do reconhecimento de duas normas e suas trajetórias internacionais – a da Responsabilidade Social Corporativa (RSC) e a de  Empresas e Direitos Humanos (E&DH), o curso apresentará a União Europeia como ator global sobretudo por meio das atividades e práticas empresariais (ora boas ora questionáveis) – sempre contextualizadas – que incidem sobre o Norte e o Sul globais. A partir dos insumos dados e das pesquisas semanais (a serem registradas no Padlet da disciplina), a disciplina pretende ensejar como produto final a construção de um banco de casos de boas práticas empresariais.

Professora Titular: Profa. Dra. Cláudia Marconi (CV: http://lattes.cnpq.br/2840351689041445)

E-Mail: claudia.marconi@gmail.com

Monitor: Rafael S. N. Miranda (CV: http://lattes.cnpq.br/4555803238036420)

E-mail: rafael.miranda@fecap.br

Aulas síncronas quinzenais via Zoom (Online) e atividades orientadas e assíncronas de Laboratório de Boas Práticas Empresariais.

Conteúdo

EIXO 1 – Uma Governança Multi-Stakeholder da Responsabilidade Social Corporativa e das Boas Práticas Empresariais
Estudo de Caso 1: O caso Shell na Nigéria e a emergência dos Relatórios de Sustentabilidade Empresarial;

EIXO 2 – Apresentando o Framework Internacional da Responsabilidade Social Corporativa (RSC): uma construção a partir das organizações internacionais de caráter global e regional
Estudo de Caso 2: A Rede Brasil do Pacto Global e o caso Samarco (Vale e BHP);

EIXO 3 – O empreendedorismo de uma norma internacional de Empresas e Direitos Humanos (E&DH) a partir dos princípios Ruggie: apropriação, contestação, spoiling e resistência
Estudo de Caso 3: O caso das empresas alemãs no cumprimento da norma internacional de Empresas e Direitos Humanos (E&DH);

EIXO 4 – As boas práticas empresariais na União Europeia: considerações sobre o tempo, espaço e paisagem europeus
Estudo de Caso 4: O caso das pequenas e médias empresas na Europa;

EIXO 5 – A promoção de agendas de diversidade e inclusão enquanto boas práticas corporativas
Estudo de Caso 5: Diversidade e Inclusão na Unilever;

EIXO 6 – Mapeando Boas Práticas Empresariais na União Europeia e seus impactos para o mundo
Discussões acerca das boas práticas mapeadas.

As aulas mesclarão conteúdos teóricos e aplicados sobre as normativas e práticas empresariais europeias distribuídas no globo, que exigirão engajamento dos alunos com pesquisa aplicada, dentro e fora da sala de aula.

NI1 – Atividade supervisionada de levantamento de boas práticas empresariais (Laboratório de Estudo de Casos),
que deverá ser feita ao longo do semestre e publicada no Padlet da disciplina; (20% da nota final)

NI2 - Produção de um estudo de caso das boas práticas de uma empresa europeia. O estudo deverá ser realizado de acordo com template publicado no Moodle; (50% da nota final)

PO – Prova Escrita (30% da nota final).

Os alunos internos aprovados poderão optar, conforme tabela abaixo, pela dispensa de uma disciplina grade ou atribuição de 40 horas de atividade complementar:

CURSO Administração
EQUIVALÊNCIA Dispensa de uma Eletiva

CURSO Ciências Contábeis
EQUIVALÊNCIA Dispensa de uma Eletiva

CURSO Ciências Contábeis para Graduados
EQUIVALÊNCIA Dispensa de uma Eletiva

CURSO Economia
EQUIVALÊNCIA 40 horas de atividade complementar

CURSO Relações Internacionais
EQUIVALÊNCIA Dispensa de uma Eletiva ou 40 horas de atividade complementar

CURSO Publicidade e Propaganda
EQUIVALÊNCIA 20 horas de atividade complementar

CURSO Relações Públicas
EQUIVALÊNCIA Dispensa de uma Eletiva

CURSO Secretariado Executivo
EQUIVALÊNCIA 40 horas de atividade complementar.

Aos alunos que não possuem vínculo com a FECAP, estarão abertas 15 vagas para alunos especiais. Os alunos devem estar regularmente matriculados em uma Instituição de Ensino Superior no ato da inscrição (graduação ou pós-graduação) e receberão, caso aprovados, certificado de conclusão de 40 horas. Os alunos deverão se cadastrar em link específico para “Alunos Externos”.

BLOOMFIELD, Alan; SCOTT, Shirley, Norm Antipreneurs and The Politics of Resistance to Global Normative Change. Oxford, Routledge, 2017.
BRIMONT, Laura; HEGE, Elizabeth. SDGs and the private sector: through the eyes of NGOs. 2017. Disponível em: . Acesso em 08 de abril de 2020.
CAMERON, Fraser. A União Europeia como um Ator Global em Tempos de Crise. Cadernos Adenauer. Online. 2013.
CAMPOS, Lucila Maria de Souza et al. Relatório de sustentabilidade: perfil das organizações brasileiras e estrangeiras segundo o padrão da Global Reporting Initiative. Gest. Prod., São Carlos, v. 20, n. 4, p. 913-926, 2013. Disponível em: . Acesso em 10 abril de 2020.
COSTA, Olivier. A União Europeia e sua política exterior: história, instituições e processo de tomada de decisão. Brasília: FUNAG, 2017.
CUYVERS, Armin. The Institutional Framework of the EU. In: Cuyvers A., Ugirashebuja E., Ruhangisa J., & Ottervanger T. (Eds.), East African Community Law: Institutional, Substantive and Comparative EU Aspects . LEIDEN; BOSTON: Brill. p. 79-102. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/10.1163/j.ctt1w76vj2.8.
EUROPEAN COMMISSION. Corporate Social Responsibility, Responsible Business Conduct, and Business & Human Rights. - Overview of Progress. 2019. Online. Disponível em: https://ec.europa.eu/docsroom/documents/34963.
GONZALEZ, Carmen. Environmental Justice, Human Rights, and the Global South. Santa Clara Journal of International Law. Seattle University School of Law Research Paper No. 15-10. Disponível em: . Acesso em 01 de junho de 2020.
HUMAN RIGHTS COUNCIL. Civil society participation in the implementation of Agenda 2030 on Sustainable Development. 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 de abril de 2020.
_____. United Nations Guiding Principles on Business and Human Rights: implementing the UN “Protect, Respect and Remedy Framework. 2011. . Acesso em: 10 de abril de 2020.
_____. Human rights and transnational corporations and other business enterprises. 2005. Disponível em: Acesso em: 10 de abril de 2020.
_____. A ONU e as empresas. Disponível em: Acesso em 01 de junho de 2020.
OCDE. Diretrizes de Due Diligence da OCDE para Conduta Empresarial Responsável. 2019. Disponível em: Acesso em 10 de abril de 2020.
OIT. Declaração Tripartite de Princípios sobre Empresas Multinacionais e Política Social. Genebra, 2012. Disponível em: Acesso em 10 de abril de 2020.
SANDERS, Rebecca. Norm spoiling: Undermining the international women's rights agenda. International Affairs, 94, p. 271-291, 2018.
THIS IS NOT AN ATLAS. The Environmental Justice Atlas: Mapping Global Environmental Conflicts and Spaces of Resistance. Disponível em https://notanatlas.org/maps/the-environmental-justice-atlas/. Acesso em 01 de junho de 2020.
TRÓCAIRE. Business and Human Rights Advocacy Manual, 2010. Disponível em: Acesso em 11 de abril de 2020.
UN GLOBAL COMPACT. Global Compact Office. Corporate Sustainability in the World Economy. New York, 2011. Disponível em: . Acesso em 11 de abril de 2020.
VOGLER, John; BRETHERTON, Charlotte. The European Union as a Global Actor. Nova York: Routledge, 2ª edição, 2006, p. 11-34.
ZWINGEL, Susan. How do norms travel? Theorizing international women’s rights in transnational perspective. International Studies Quarterly, v. 56, n.1, 115-129, 2012.

Sobre o professor

Professora na Graduação em Relações Internacionais e do Quadro Permanente do Mestrado Profissional em Governança Global e Formulação de Políticas Internacionais (GGFPI) da PUC-SP. Atualmente está coordenadora do mesmo Programa. É também pesquisadora do ORI (OBSERVATÓRIO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS) da PUC-SP e Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação San Tiago Dantas (UNESP/UNICAMP/PUC-SP). Atua ainda como professora da Graduação em Relações Internacionais na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) e é Titular da Cátedra Jean Monnet de Estudos Europeus pela mesma instituição. Sua agenda de pesquisa gira em torno da temática da governança global dos direitos humanos, dos processos e mecanismos de justiça internacional e transicional, assim como dos debates teóricos da Escola Inglesa e da construção de pontes entre a Teoria das RI e a teoria política internacional.

Profa. Dra. Cláudia Marconi

Compartilhe :

Receba tudo que rola no universo FECAP?

Ou